Meio&Mensagem

Podcasts Women to Watch destacam desafios do mercado

Em seis episódios, profissionais discutem temas como maternidade, criatividade, liderança feminina, inovação e tecnologia, influência e empreendedorismo

Bárbara Sacchitiello
31 de agosto de 2020 - 17h40

Realizado no Brasil pelo Grupo Meio & Mensagem desde 2013, o Women to Watch ganha novos formatos em 2020. A versão brasileira da iniciativa criada pelo Advertising Age há mais de 20 anos, passa a estender a discussão sobre a representatividade e os desafios femininos no mercado de trabalho para uma série de podcasts.

Em seis episódios, o Women to Watch reuniu sempre uma dupla de profissionais de comunicação e de outras áreas para falar sobre os temas que impactam diretamente a carreira das mulheres e, por meio da troca de experiências pessoais e de diferentes visões, tentar apontar possível caminhos para que as futuras executivas, gestoras e empreendedoras encontrem um cenário profissional mais favorável. De março a abril, a série de podcasts Women to Watch abordou diferentes aspectos da jornada das mulheres no mercado de trabalho, sob o ponto de vista das profissionais que vivenciam a rotina do mercado.

Women to Watch #01 – Maternidade

O primeiro deles, com o tema Maternidade, estreou em março e traz uma conversa com Silvana Balbo, diretora de marketing do Carrefour no Brasil, e Priscilla Cerutti, diretora de planejamento da Dentsu Brasil e presidente da consultoria MammaLab.

Um dos mais importantes momentos da vida de uma mulher, o nascimento de um filho também traz consequências para a carreira. De acordo com pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) realizada em 2017, 48% das mulheres perdem o emprego até um ano depois do início da licença-maternidade. Melhorar esse quadro depende de não apenas de uma reformulação do esquema de trabalho das empresas, mas também da reavaliação dos papéis feminino e masculino na sociedade, na opinião das entrevistadas. Ouça:

Women to Watch #02 – Criatividade

O segundo podcast da série Women to Watch aborda o tema da criatividade. Nos últimos anos, Meio & Mensagem fez duas pesquisas junto às 30 maiores agências de publicidade para mapear a presença de mulheres nos departamentos de criação das agências. Em janeiro de 2016, na primeira rodada do estudo, as criativas correspondiam a 20% do quadro do setor. Em 2019, um nova edição da pesquisa mostrou que a evolução desse quadro foi tímida: de 20%, as mulheres passaram a corresponder a 26% do total de pessoas que trabalham nas áreas de criação.

Entender as razões por trás desse desequilíbrio de gênero na área que é o coração da publicidade é o objetivo do episódio, que conta com a a participação de duas líderes criativas: Andrea Siqueira, diretora-executiva de criação da BETC/Havas, e Joanna Monteiro, chief creative officer da Heads. Ouça:

Women to Watch #03 – Liderança feminina

O terceiro episódio do podcast Women to Watch aborda o tema da liderança feminina. A edição de 2019 da Pesquisa Panorama Mulher, realizada pelo Insper em parceria com a Talenses, apresentou um número que confirma o quanto a desigualdade de gênero ainda é predominante nos altos postos do mundo corporativo. De acordo com o estudo, apenas 13% das empresas brasileiras são presididas por mulheres. A pesquisa foi realizada com 532 empresas com sede no Brasil, América do Norte e na Europa.

Esse dado mostra como os caminhos que levam as mulheres ao topo das cadeiras empresariais ainda são árduos para boa parte dessas profissionais. Sobre os desafios de gerir negócios, pessoas e, também, de atuar pelo equilíbrio da diversidade no mundo corporativo, o terceiro episódio conta com a participação de duas CEO’s de agências de publicidade: Marcia Esteves, da Lew’Lara\TBWA, e Miriam Shirley, da SapientAG2. Ouça:

Women to Watch #04 – Inovação e Tecnologia

O quarto episódio da série trata dos temas de inovação e tecnologia. Independentemente da carreira que qualquer profissional tenha escolhido, é certo que ele terá de se adaptar para acompanhar a evolução de seu segmento. Quando essa perspectiva é colocada no âmbito das mulheres no mercado de trabalho, os desafios de lidar com elementos de tecnologia e inovação somam-se a outros já enfrentados por profissionais que visam alcançar patamares mais altos no ambiente corporativo.

As duas participantes do quarto episódio da série de podcasts Women to Watch enfrentam todos os dias a necessidade de se adequar para desempenhar funções que estão em constante transformaçao: Camila Costa, sócia e CEO da ID\TBWA, e Sarah Buchwitz, vice-presidente de marketing e comunicação da Mastercard. Ouça:

Women to Watch #05 – Os significados da influência

O quinto episódio da série fala sobre o universo dos influenciadores. Cada vez mais presente no dia a dia de quem trabalha na área de comunicação – e para todos que usam as redes sociais – o termo influenciador define as pessoas que teriam o poder de incentivar comportamentos e hábitos. Mas o que significa, de fato, ser influente em um ambiente de tanto conteúdo, ideias e agilidade como o das redes sociais? E, assim como os demais segmentos econômicos, será que esse mercado de influenciadores está livre de estereótipos e desigualdade de gênero?

Se a sociedade, como um todo, ainda está longe de atingir patamares de equidade, não teria como o marketing de influência não refletir essa disparidade. Essa é a conclusão de Samantha Almeida, head do Twitter Brasil e Inaiara Florêncio, partner e diretora de plataformas da Avellar Media, as duas participantes do episódio. Ouça:


Women to Watch #06 – Empreendedorismo

O episódio que encerra a série de podcasts Women to Watch aborda o empreendedorismo feminino. Para muitas pessoas, conseguir ser dono do próprio negócio é um dos principais objetivos de vida. No caso das mulheres brasileiras, mais do que a realização de um propósito, empreender significa, muitas vezes, um caminho para a sobrevivência. Responsáveis, muitas vezes, pelo sustento da família, elas conseguem transformar habilidades e gostos pessoais em um modo de vida – e, muitas vezes, em um negócio rentável.

A tarefa de empreender, no entanto, é extremamente desafiadora, ainda mais em um território com tantas desigualdades econômicas e, também, questões ainda não solucionadas de desequilíbrio de gênero. Ana Fontes, CEO da Rede Mulher Empreendedora, decidiu usar sua experiência pessoal após algumas tentativas frustradas de ter seu próprio negócio para criar uma comunidade de apoio a outras profissionais que desejam seguir o caminho do empreendedorismo. Gabryella Corrêa, fundadora e CEO do aplicativo Lady Driver, já vinha de algumas experiências de empreendedorismo quando passou por uma situação de assédio em uma corrida feita por aplicativo, que lhe impulsionou a pensar em um serviço de mobilidade voltado essencialmente para mulheres. Ouça:

Compartilhe

Patrocínio

Realização